VIII ENCONTRO MINEIRO DE ESPELEOLOGIA

O VIII Encontro Mineiro de Espeleologia no Carste São Francisco

Entre os dias 22 e 24 de julho foi realizado o VIII Encontro Mineiro de Espeleologia, na cidade de Pains – MG. O evento, organizado pela Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE) e o Espeleogrupo Pains (EPA), contou com a participação de grupos de espeleologia, profissionais e especialistas do ramo, comunidade local e demais interessados, totalizando em aproximadamente 100 participantes. A SEE desenvolve diversos trabalhos, muitos deles em parceria com o EPA, na região cárstica do Alto São Francisco e por isso não poderia deixar de participar deste evento. Além disso, a SEE aproveita de eventos como este para difundir a ciência da espeleologia e apresentar os diversos trabalhos que a entidade desenvolve na região e em todo o Brasil.

A SEE desenvolve trabalhos na região de Arcos-Doresópolis-Pains-Iguatama desde a década 70 e em 2012 participou do Projeto Arcos-Pains Espeleologia (PROAPE) em que foram mapeadas e cadastradas diversas cavernas, abrigos e abismos de toda a região. Atualmente, são desenvolvidos diversos trabalhos acadêmicos nas principais cavidades por membros da SEE, além de atividades de campo semestrais decorrentes do Curso de Introdução à Espeleologia oferecido aos alunos da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

O evento teve solenidade de abertura, no Museu Arqueológico do Carste do Alto São Francisco (MAC), às 19h do dia 22 de julho e contou com apresentação cultural pela Associação dos Amigos da Cultura da Cidade de Formiga (AACCF) e pela Academia Corpo & Movimento, e durante a abertura do evento teve a mesa composta por representantes políticos locais, presidentes das entidades organizadoras e principais especialistas e profissionais da espeleologia nacional. Foram apresentados todos os membros da mesa aos participantes e ao final contou com a explanação sobre a coordenação de meio ambiente do Ministério Público no Carste do Alto São Francisco, pelo Coordenador Promotor Dr. Francisco Chaves Generoso (MPMG) e palestra magna do presidente do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e coordenador da Rede Brasileira de Reservas da Biosfera Clayton Ferreira Lino, que apresentou atuais perspectivas de preservação das cavidades naturais brasileiras, as principais atividades realizadas no ramo espeleológico, comentários e opiniões sobre o futuro da ciência.

No dia seguinte, durante o período da manhã, foram ministradas as seguintes palestras, no Núcleo Vida Saudável – centro da cidade de Pains:

  • Geologia do Carste do Alto São Francisco – Prof. Luciano Versiani Ribeiro (UFMG);
  • Pesquisa e Conservação do Patrimônio Espeleológico na Região de Arcos, Pains e Doresópolis/MG – Jocy Cruz e André Ribeiro (CECAV);
  • Bioespeleologia do Carste do Alto São Francisco – Prof. Rodrigo Ferreira Lopes (UFLA);
  • Projeto Arcos Pains Espeleologia (PROAPE) – Prof. Claudio Mauricio Teixeira da Silva (UFOP);
  • Arqueologia no Carste do Alto São Francisco – Arqueólogo Gilmar Henriques (MAC).

Durante as apresentações foram exibidos trabalhos e estudos científicos realizados na região, principalmente na Gruta do Éden, Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) pertencente à Mineração Saldanha.

No período da tarde, foram realizadas as seguintes mesas redondas e oficinas no mesmo local:

  • Áreas Prioritárias para Criação de Unidades de Conservação;
  • Criação da Unidade de Conservação no Cânion do Rio São Francisco;
  • Organizações Espeleológicas em Minas Gerais (SBE).

Estas atividades contaram com a participação dos diversos grupos, profissionais e especialistas do ramo, que tiveram a oportunidade de expressar suas mais sinceras opiniões sobre os temas abordados de maneira saudável e amistosa.

Durante a última atividade realizada neste dia, a SEE foi convidada para participar da mesa redonda que apresentou todos os grupos de espeleologia presentes no evento. Além da SEE, participaram da mesa o Guano Speleo Grupo (Belo Horizonte), Grupo Mocó de Espeleologia (UFVJM) e o EPA (Pains). O presidente da SEE, Celso Pascoal Constâncio Junior, além de apresentar os principais trabalhos desenvolvidos pela entidade, convidou todos os participantes do evento para participarem do 34° Congresso Brasileiro de Espeleologia que será realizado em Ouro Preto em 2017.

Durante todas as apresentações e atividades realizadas, foi exposto o Museu Itinerante da SEE. Esta exposição apresentou para todos os participantes do evento e a comunidade local um pouco sobre a história da entidade em forma de painéis com fotos, foram expostos ainda equipamentos e mapas antigos pertencentes ao acevo da entidade juntamente com os mapas desenvolvidos atualmente pela entidade na região, como a Gruta do Zé Brega e Gruta Santuário. A exposição despertou grande interesse dos participantes que não deixaram de relatar antigos trabalhos realizados com a entidade e fazer perguntas sobre a atual gestão da SEE e sobre seus atuais projetos desenvolvidos.

No dia 24 de julho, foram desenvolvidas as atividades de campo, visitas técnicas e minicursos nas grutas do Zé Brega, Santuário e João Lemos, todas situadas na cidade de Pains. Estas atividades desenvolveram trabalhos envolvendo noções de espeleologia, arqueologia, técnicas verticais e bioespeleologia.

Atividades realizadas pela SEE durante o VIII EMESPE

Além da participação dos membros da SEE no VIII EMESPE, foram desenvolvidas atividades paralelas durante o evento. Como todos os membros da SEE que participaram do evento já haviam visitado todas grutas programadas para as atividades do dia 24, foram organizadas e realizadas visitas à outras cavidades ainda próximas à cidade.

Na manhã do dia 22 de junho, período destinado para o credenciamento dos participantes do evento, foi realizada a visita do Abismo do Narigudo, próximo à cidade de Pains. A visita foi realizada por 5 (cinco) atuais e antigos membros da entidade com intuído de desenvolvimento de pesquisas acadêmicas no interior da cavidade, bem como a exploração de condutos e galerias ainda não visitados.

O Abismo do Narigudo está localizado na bacia do rio São Miguel, a sudeste do município de Pains, na denominada “região cárstica de Arcos-Pains-Doresópolis-Iguatama”. Segundo LUCON et al. (2015), o Narigudo apresenta o maior desnível e desenvolvimento linear, com 62 metros e 1347 metros, respectivamente, mapeados até o momento. O abismo apresenta atributos que o enquadram como cavidade de relevância máxima tais como morfologia única, dimensões notáveis em extensão, área e volume, além de, possivelmente, caracterizar um habitat essencial para preservação de populações de troglóbios endêmicos ou relictos, devido à singularidade da sua configuração endocárstica. Ainda, a cavidade apresenta alta diversidade de depósitos químicos, com 22 tipos diferentes, dos quais, dois deles são raros. Além disso, a cavidade possui colônias residentes de morcego e fluxo hídrico perene categorizando sua importância ambiental, científica e paisagística.

No começo da manhã do dia 24 de julho, com o término do evento, foram recebidos os certificados de participação aos membros da SEE que, logo após, retornaram à Ouro Preto.

A Sociedade Excursionista e Espeleológica gostaria de agradecer a Fundação Gorceix, a Escola Estadual Pe. José Venâncio, ao EPA, a Prefeitura de Pains pela oportunidade de difundirmos a espeleologia através da divulgação dos nossos trabalhos que vem sendo realizados e do nosso acervo do museu itinerante.

 

Participantes: Lorena Oliveira Pires, Fernanda Fonseca Guedes, Celso Constancio, Débora Lara, Guido Vernnoy, Syro Lacerda, Victor Bernardes, Leticia Batisteli, Bruna Meyer, Claudio Mauricio Teixeira da Silva.

  • 1
  • 2
  • 4
  • 5
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29